sexta-feira, 18 de setembro de 2015

Música



                                                     Silêncio
                                                     Paz
                                                     e Rock

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Gatito


Logo cedo Bela desperta com os ruídos da Gatito.

 


Se levanta e vai bamboleando pela sala até chegar na porta e olhar para o jardim.


Entre as folhas ela vê um minusculo sapinho e logo abaixo quem está?


Gatito todo armado com suas pequenas unhas, para proteger  seu território do grande animal saltador.


sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Francisco Goya e o sono da humanidade


Na seqüência da Revolução Francesa houve a expansão através das guerras napoleônicas  da nova ideologia racionalista através da força.

A razão deveria tirar a Europa da escuridão das monarquias absolutistas.

A invasão francesa sobre a pobre Espanha, com o ideal de libertar os espanhóis de sua ignorância, trouxe dor e sofrimento para o povo.



Goya em suas gravuras da série Caprichos de 1799, destacamos a obra "O Sono da Razão produz monstros". Uma das cópias desta obra está no Museu de Belas Artes da Argentina.

A obra tão pequena, produzida sobre papel tem uma grande força. Nos alertando que muitas vezes a humanidade se ilude com ideologias e para impo-la como verdade aos semelhantes exageram ao utilizar da força causando muitas mortes e sofrimento a todos.


sexta-feira, 7 de agosto de 2015

Paisagem quem te vê, quem te fez?


          Muitas vezes ao ler  livro ou visitar um site encontramos imagens de paisagens como as de florestas, campos, marítimas, cujos originais haviam sido pintados ou fotografados. Mas quem são os artistas que as produziram? Porque eles as plasmaram? Em que época foram produzidas? e por aí seguem as nossas dúvidas.

             Mas a natureza é a paisagem ou a paisagem é algo separado da natureza? Assim a natureza pode ser registrada em fotografias

(foto de Lucinéia Chamorro, 2015, local Buenos Aires, Argentina)


             León Augustin Lhermitte pintor realista, em sua pintura Les Glaneuses, tem como protagonista da sua paisagem as pobres camponesas francesas recolhendo os grãos de trigo. A luz fria nos dá a sensação de desolação.

(Foto Lucinéia Chamorro, 2015, MNBA, Argentina)


             Ou as paisagens irreais de Eugenio Cuttica com sua Luna a menina translucida se dissolvendo na paisagem que tornou  o espaço do silêncio entre o céu e a terra.

 
(Chamorro, 2015, obra de Cuttica MNBA, Argentina)

                   A muitos séculos os artistas se preocupam em plasmar paisagens enquanto nós apenas as desfrutamos, tornando-as anímicas, trazendo significados emocionais para elas.

                     Bem a natureza é única não tendo começo nem fim, enquanto a paisagem é um produto cultural em que o artista ao vê-la, após uma reflexão decide qual o recorte que ele deseja, ele sente a força na natureza e a absorve completamente e utilizando os materiais que possuí a recria a partir de si mesmo. A paisagem é fruto do seu pensamento e de suas escolhas. Somente o artista pode criar e modelar uma paisagem.

                      Enquanto nós as observamos o trabalho do artista que plasmou a paisagem pintada/fotografada e não a natureza in loco. A partir de suas imagens nos emocionamos.



sábado, 25 de julho de 2015

Elefantes em cores



Ao entrar em uma livraria me deparei com um pequeno livro de bolso com o título "Postais para Colorir"

Havia diversos desenhos elaborados por vários, artistas, ilustradores e designe.

Comprei o pequeno exemplar e deparei com a imagem de um elefante. Ele era pequeno mas ocupava completamente a pagina, bem centralizado.

A primeira pergunta que nos vem à mente:

Qual a cor dos elefantes? São cinzas, brancos, marrom, ou....

Essa imagem não é uma representação científica do animal. Também não é uma imagem posta em um museu ou galeria de arte para ser fruída.

Esse postal é fruto do trabalho de alguém que elaborou o desenho, pensou nas formas e composições e foi vendido em uma livraria ou banca apenas com uma única intenção te dar um momento único para você.

Você não é artista, nem designer, ou entendido nessas coisas de arte, mas sim, esse desenho é seu, único e exclusivamente para você se divertir, sair da rotina e pensar na combinação de cores e texturas sobre a qual vai imprimir no animal.

O ato de pintar com lápis ou canetinhas te liberta por alguns instantes da vida que levamos e nos permite soltar a imaginação e a criatividade escondida embaixo das camadas e camadas de afazeres da vida adulta.




Meu conselho divirta-se com um desenho já pronto que foi pensado por algum ilustrador/artista para você.

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Seja feliz e saudavel

      Hoje tomei uma decisão bem drástica, deixei de ser a menina boazinha, deixei de ser a que ajuda e acolhe a todos, não importando o pedido. Mesmo os que por vezes temos que usar nosso tempo de descanso para fazer e não ser remunerado por isso.
      
      Sabe muitas vezes ouvimos no nosso dia a dia de colegas, amigos parentes, e outros, as seguintes frases: 
       
       "_Nossa você é formado em artes, bem que podia me ajudar....a fazer esse painel, ou recortar essas letrinhas."                           
                                                       ou 
       " _Você se formou em arte, me ensina (ou) ensina as crianças a desenhar um peixe?"
                                                      ou
       " _ Você é tão caprichosa, pois se formou em artes, não dá para você me ajudar a pintar a parede da sala?"  
                                                          ou então,
       "_Nossa você se formou em .... não poderia fazer para mim um texto sobre....você é tão boa em escrever.....
                                                                 
        E por aí vai. Acho que a maioria das pessoas  que se formaram em artes, educação artística, design, música, jornalismo ou qualquer outro curso em que usamos um pouco mais a criatividade, ouvimos isso. 
      
       Muitas vezes, os trabalhos gratuitos solicitados poderiam ser feitas por quem te pediu, mas, muitas vezes acabamos fazendo sem cobrar nada, apenas para não chatear o colega ou amigo.

          Assim logo fazemos carinha de anjo e dizemos:


Eu faço para você.

   
     Muitas vezes, no momento não percebemos, mas estamos nos desvalorizando e como eu acabamos vendendo a nossa alma, por não saber dizer a palavra "NÃO".


     Depois, você descobre que sua atitude de boazinha, de fazer algo que realmente não era criativo, era apenas algo banal e muitas vezes inútil, algo que quem te pediu não fez por pura preguiça.

     As vezes sentimos muita raiva de nós mesmos, pois o "bobo" formado em artes fez, algo para agradar aos outros.

      Precisamos deixar de ser o "cão" que faz o que te pedem, por não saber falar uma simples palavra. 
   
 

     Dai depois de alguns sim e sim, você descobre que pode ter uma vida criativa e saudável, apesar dos amigos e colegas de trabalho,  que te pedem para fazer coisas com a desculpa de que isso é para os criativos formados. 

  Você pode ser feliz dizendo, apenas dizendo  NÃO, ao que te incomoda fazer sem muitas explicações.


ASSIM NÃO TENHA MEDO DE USAR O NÃO, QUANDO NECESSÁRIO.




sexta-feira, 17 de julho de 2015

trabalhar com imagens é fazer arte?

      Nesta semana ao conversar com minha amiga artista plástica, ela falava que não considerava a ilustração uma obra de arte, uma vez que o profissional deve se submeter aos desejos da editora, do contratante, do autor, etc.

     E que o artista ao fazer sua obra estava livre disso, podendo se expressar totalmente, livremente, sem amarras de contratos ou prazos, ou submissão de sua obra aos olhar do outro e ter que muda-lá.
para agradar.

   Mas daí comecei a pensar.
(O Pensador de Rodin, em Museu da Decorativo, Buenos Aires, Argentina)


  Quando trabalhamos com imagens, normalmente não classificamos o que estamos fazendo como Arte com o "A" maiúsculo ou com "a" minusculo, nós apenas trabalhamos, nos expressamos o melhor possível, seja fazendo uma obra para o museu ou para a galeria, ou uma obra que será impressa em um livro.

   A torrente de energia que depositamos nos projetos, a criatividade empregada, a ação de fazer nos movimenta e nos alimenta, as horas e horas de trabalho para  canalizar tudo isso para a produção de imagens é estupenda.

(Foz do Iguaçu, Cataratas, 2015)


   Bem acredito que quando estamos elaborando um projeto, não devemos classifica-lo como Arte, mas sim como trabalho, pois do contrario podemos embotar a criatividade, "travar" com o medo do papel ou da tela em branco.

 Assim acredito que a rotulagem de  uma obra  como sendo arte ou não, deixarei a critério do tempo. 



 

Livros muito bons

  • Anne de Green Gables
  • Manual do Artista
  • Minha vida na França

Quem sou eu

Minha foto
Amamos a Arte e suas diversas manifestações